Buscar

Tempo de Esperança 1º domingo do Avento

Palavra de Deus: Marcos 13,33-37



O Evangelho de hoje é parte do cap. 13 do Evangelho de Marcos. “Cuidado! Ficai atentos, porque não sabeis quando chegará o momento.” Vigiai,, porque não sabeis quando o dono da casa vem... o que vos figo a todos: Vigiai.” O evangelho nos mostra que o tempo da ausência do dono da casa que partiu em viagem não é um tempo morto... não é uma espera vazia... angustiante... sabendo que o Senhor virá de forma surpreendente. A liturgia do Advento nos convida a reviver alguns dos valores essenciais de nossa vida cristã: a alegria expectante e vigilante, a esperança, a pobreza, a conversão. Deus é fiel a suas promessas: o Salvador virá. O tempo do Advento é tempo de esperança porque Cristo é a nossa esperança. A esperança, talvez mais do que qualquer outra inclinação, está bem no cerne do ser humano e de sua existência. O ser humano é ser “esperante”.


RUBEM ALVES, em um dos seus escritos diz:

“...A esperança é o oposto do otimismo.

O otimismo é quando sendo primavera do lado de fora, nasce a primavera do lado de dentro.


Esperança é quando sendo seca absoluta, do lado de fora, continuam as fontes a borbulhar dentro do coração. Otimismo é alegria “por causa de”; coisa humana, natural. Esperança é alegria “apesar de” : coisa divina.

O otimismo tem suas raízes no tempo.


A esperança tem suas raízes na eternidade.

A esperança carrega uma força misteriosa, um sopro criador, um alento espiritual que nos leva a olhar tudo com fé e encantamento: “ enquanto há vida, há esperança”.


O QUE VOCÊ DIZ A DEUS? QUE ESPERANÇAS CARREGA NO CORAÇÃO?