Buscar

Jesus revelou o novo rosto do Pai. 26º DTC

Palavra de Deus: Mt 21, 28-32

“...os cobradores de impostos e as prostitutas entrarão antes de vós no Reino de Deus. “


A frase acima é uma das mais cortantes, proferidas por Jesus aos chefes religiosos. Os cobradores de impostos e prostitutas constituíam as duas classes de pessoas mais odiadas e que sofriam muito preconceito na sociedade religiosa de seu tempo.


Com sua presença e ternura Jesus quebra as atitudes preconceituosas que impedem a manifestação da vida. Jesus provoca um escândalo nos seus ouvintes, sobretudo entre os fariseus, sacerdotes e anciãos do povo que se consideravam superiores aos outros, perfeitos cumpridores da lei, e portanto merecedores da atenção de Deus.


O que o texto diz para mim?

Jesus, pelo seu modo de ser e de agir e pela sua pregação, toca as profundezas da vida. Ele convive a maior parte do seu tempo, com aqueles que não tinham lugar dentro do sistema social-religioso existente.


Ele se coloca ao lado dos excluídos e dos últimos da história: acolhe prostitutas e pecadores, os marginalizados (doentes e leprosos), os samaritanos e pagãos, os publicanos e soldados, os fracos e pobres... os excluídos. Sua visão de vida não O afasta da realidade.


O Reino de Deus encarna-se na história dos pequenos e desprezados. Ele reconstrói o ser humano na própria raiz do seu ser. Jesus se revela como um “Deus errante”, que corre ao encontro daqueles que estão perdidos.


Na minha ORAÇÃO ter presente que somos chamados a dirigir nosso olhar para as margens e periferias da história... Como respondo a esse apelo?


“ O Papa Francisco nos dirige um contínuo apelo a viver a “cultura do “encontro” em meio a uma cultura da indiferença”.